4 de novembro de 2014

Resenhando Filme: Drácula: A História Nunca Contada

Título: Drácula: A História Nunca Contada (Dracula Untold)
Direção: Gary Shore
Gênero: Ação
Duração: 92 min.
Lançamento: 23 de Outubro
Os habitantes da Transilvânia sempre foram inimigos dos turcos, com quem tiveram batalhas épicas. Para evitar que sua população fosse massacrada, o rei local aceitou entregar aos turcos centenas de crianças. Entre elas estava seu próprio filho, Vlad Tepes (Luke Evans), que aprendeu com os turcos a arte de guerrear. Logo Vlad ganhou fama pela ferocidade nas batalhas e também por empalar os derrotados. De volta à Transilvânia, onde é nomeado príncipe, ele governa em paz por 10 anos. Só que o rei Mehmed (Dominic Cooper) mais uma vez exige que 100 crianças sejam entregues aos turcos. Vlad se recusa e, com isso, inicia uma nova guerra. Para vencê-la, ele recorre a um ser das trevas (Charles Dance) que vive pela região. Após beber o sangue dele, Vlad se torna um vampiro e ganha poderes sobrehumanos.


Filmes sobre vampiros nunca saíram de moda, eles apenas se renovam, alguns tem mais ação, outros mais romance e clichês, outros são sanguinários. Mas em Drácula: A História Nunca Contada nós temos o nascimento do vampiro mais conhecido do mundo.


Vlad lutou pelos turcos e sobreviveu para enfim voltar a sua terra natal e governar com rei e durante muitos anos ele conseguiu obter paz para seu povo, mas ao ver a história se repetindo Vlad não cede ao desejos de Mehmed e com isso inicia uma guerra e para ter poder o bastante para impedir seu inimigo Vlad procura por poder nas trevas.

O filme retrata de forma leve a origem de Drácula e de uma certa forma da um motivo banal para o nascimento dele, tentando dar mais um tom de herói se afastando do "monstro" que ele realmente é.

A fotografia e figurino do filme estão maravilhosos, tudo muito bem produzidos, mas o filme, começa devagar e depois começa a andar muito rápido e quando nos damos conta já acabou, acho que o para um filme de origem o personagem foi mal explorado, os 92 min do longa não são o bastante para demonstrar todo potencial de Vlad.

Uma das coisas que ficou a desejar para mim foi a sede por sangue, no qual ele teria de resistir por 3 dais caso quisesse voltar a ser humano, eu achei que não houve realmente um momento que ele sofreu para resistir, que ele lutou para resistir a sede, para ser sincero até os vampiros da Saga Crepúsculo sofrem mais para resistir a sede de sangue. Outro fato que não passa despercebido é a presença incógnita de Charles Dance o Mestre Vampiro, o personagem é vazio, servido apenas para dar poder a Vlad.

Mas ainda com todos os clichês eu gostei muito do filme, sempre gostei de filmes de vampiros, sempre os achei interessante, até os que brilham quando saem ao sol! Drácula: A História Nunca Contada deixa a desejar em alguns pontos, mas não deixa de ser um bom filme sobre vampiros, principalmente sendo a origem do maior deles, espero que a continuação consiga ver a luz do dia e que seja mais trabalhada.

P.S.: Os atores de Game of Thrones estão dominados os filmes;
P.S.2: Alguém sentiu falta de sangue pescoços mordidos nesse filme ou foi só eu?
P.S.3: "Não ouça o mal, não fale o mal e não veja o mal" - Macacos Sábios;
P.S.4: Morcegos gente, morcegos, o quanto eu esperei por um filme com esse efeito;
P.S.5: Prata não era para lobisomens?

Classificando:



Xo people.

Nenhum comentário:

Postar um comentário