13 de novembro de 2014

Resenha: A Promessa do Tigre - Colleen Houck

Título: A Promessa do Tigre (Tiger's Promisse)
Série: The Tiger Saga #0.5
Autor: Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Ano: 2014
Páginas: 128
Antes da maldição, uma promessa. Mais de 300 anos antes de Kelsey Hayes surgir na vida de Ren e Kishan, uma jovem cruzou o caminho dos príncipes. Seu amor por um deles mudou o curso da história e o destino da família Rajaram.
Criada longe dos olhos da corte, isolada do convívio no castelo, Yesubai luta para suportar os maus-tratos do pai e manter em segredo suas habilidades mágicas. Lokesh é um poderoso e cruel feiticeiro que foi capaz de assassinar a própria esposa porque ela lhe deu uma filha em vez de um filho.
Ao completar 16 anos, Yesubai é surpreendida por um anúncio do rei. Procurando fortalecer suas relações diplomáticas, o nobre acredita que um casamento entre a filha de Lokesh, comandante de seu exército, e um pretendente de algum dos reinos vizinhos será uma boa estratégia para diminuir os conflitos na região.
A jovem recebe a notícia com alegria. Pela primeira vez ela enxerga um fio de esperança, a perspectiva de escapar do controle do pai e de levar uma vida fora do confinamento de seus aposentos. Mas esses não são os planos do feiticeiro. Ele vê no iminente casamento de Yesubai uma oportunidade de conseguir ainda mais poder e não poupará esforços para atingir seus objetivos sombrios.
A promessa do Tigre conta a origem da história dos príncipes Ren e Kishan e os acontecimentos que levaram às aventuras da aclamada série 'A maldição do tigre'.
Você cria toda uma ideia sobre o personagem e até chega a ter uma magoa escondida pelo mesmo, então vem a autora e desconstrói toda e qualquer imagem negativa que você tinha/tem sobre o personagem. Foi exatamente o que Colleen Houck fez ao lançar A Promessa do Tigre.

Yesubai era filha de Lokesh, desde pequena viveu sobre a tirania do mesmo, aceitando todos os tipos de maus tratos e abusos que é possível pensar. Mas Yesubai conta com a amor de sua ama de leite Isha para se manter firme e forte contra as maldades de seu pai.
— E você sabe quanto eu preferiria ter uma aparência mais normal. Beleza só serve para chamar a atenção dele ainda mais.
Enquanto prendia o véu no lugar, Isha retrucou:
— Talvez sua beleza o faça se controlar mais do que é da natureza dele.
— Talvez — Fixei a parte inferior do véu dourado transparente sobre meu rosto e senti o nó no estômago que denunciava que alguém de grande poder estava por perto.
— Ele está se aproximando. Vá se esconder no closet.
— Sim, senhorita. — Isha colocou a mão macia e enrugada no meu rosto. — Fique em segurança hoje à noite.
Dei palmadinhas em seu braço.
— Você também.
Lokesh mesmo culpando a filha por ter nascido mulher e não um homem que o seguiria e daria sucessão a seu poder, ele usava a filha para seus propósitos e foi assim que Yesubai cruzou o caminho de Kishan e Dihren, dando inicio a história que muitos devem conhecer.

Posso dizer que toda a má impressão que eu tinha de Yesubai caiu por terra, toda e qualquer informação sobre ela que nos é entregue nos outros livros da Saga do Tigre nos faz pensar que ela era uma Bitch, mas ao ler A Promessa do Tigre podemos ver que as coisas não eram bem assim e que ela era apenas mais uma das vitimas do Lokesh (esse sim merece todo meu ódio). Vemos também que a relação dela com Kishan não "acontece" como é retratado nos outros livros da saga, que muito mais coisas por baixo dos panos, ou véus se preferirem.
— Eu não amo seu irmão — murmurei finalmente.
Kishan inspirou fundo e passou as pontas dos dedos delicadamente ao longo de meu maxilar até o queixo, erguendo meu rosto par que eu tornasse a mergulhar em seus olhos dourados. — Então você ama outra pessoa?
 Assenti com a cabeça.
— Fale — Disse ele.
Observei seus lábios ao pronunciarem a palavra.
Meu coração batia com tanta força que fiquei excessivamente tensa, como se só conseguisse pensar no formigamento dos meus braços e pernas. Com a voz arrastada e os pensamentos confusos, sussurrei:
— Eu preferia que fosse você o meu prometido.
A capa do livro causou alguns burburinhos, muita gente achou ela feia, mais eu até que me agradei dela, mas ao terminar de ler entendi que não haveria design melhor para por na capa, assim como as capas dos outros livros da saga, a capa de A Promessa do Tigre faz referência a um ponto marcante do livro.

Eu não entendi por que a Arqueiro não adicionou ao livro os extras que foram inclusos na versão americana, que são um capitulo na perspectiva de Yuvakshi mãe de Yesubai, um na perspectiva de Ren e o primeiro capitulo de O Sonho do Tigre, o quinto livro da saga. 

Eu adorei o livro, Colleen nos presenteia com uma prequel gostosa e interessante,  principalmente para quem é amante da Saga do Tigre assim como eu. A Promessa do Tigre é um acréscimo mais que excelente a saga.

Classificando:

4 comentários:

  1. Agora sim fiquei curiosa para terminar "A Saga do Tigre" e então ler esse prequel. Como você sabe, até o momento só li "A Maldição do Tigre" e admito que minhas impressões sobre Yesubai não é das melhores. Certamente, quando eu ler o segundo volume da "Saga do Tigre", vou me lembra desta resenha quando Yesubai for mencionada.
    Adorei a resenha, como sempre. Suas resenhas não decepcionam né. ;)

    Blog | Paixonites Literárias Xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Nati!! Um dia ainda vou acreditar que minhas resenhas são realmente tão boas!! Você vai adorar (assim espero) esse livro e vai ficar com aquele vontade de quero mais, foi assim que fiquei!!

      Xo

      Excluir
  2. Também gosto da série, mas particularmente a mitologia me encantou mais do que os próprios relacionamentos. De qualquer forma, não dá para negar que eles conquistam e nesse caso em particular ainda mais. Senti falta de um pouco mais de "ação", mas de um modo geral gostei dessa leitura, principalmente por quebrar a imagem que a autora insistiu em construir da Bai.
    Não sabia dos extras da versão americana, mas estou aguardando ansiosamente pelo quinto livro - por mais que a princípio ache desnecessário. rsrs

    Abraços,
    Ricardo - www.overshockblog.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Ricardo verdade, a mitologia é um grande ponto forte do livro, e não só a mitologia indiana mas também as outras abordadas durante a série. Realmente faltou um pouco de ação, mas isso pode se deixar de lado considerando que esse livro esta mais focado na origem da maldição (que não é mostrada haha). Sim ainda tinha esses extras acho que vou ler a versão em inglês só por causa disso. Quero o quinto livro não port ele ser necessário a saga, por que ele não é, quero ele para ter mais um pouco desse universo maravilho do qual me apaixonei.

      Xo

      Excluir