9 de dezembro de 2014

Resenha: Poder - Sarah Pinborough

Título: Poder (Beauty)
Série: Tales From the Kingdoms #3
Autor: Sarah Pinborough
Editora: Única
Ano: 2014
Páginas: 224
Acordar uma princesa pode ser letal. Para fãs de Once Upon a Time e Grimm, a série Encantadas prova que contos de fadas são para adultos! Quando um príncipe mimado é enviado pelo seu pai para tentar desvendar os mistérios de um reino perdido, ninguém imagina os perigos que ele encontrará pela frente! Acompanhado da figura sóbria e sagaz do Caçador e de Petra, uma jovem valente que possui uma ligação muito forte com a floresta, o príncipe acaba encontrando um reino adormecido por uma estranha magia. Todos os seres vivos foram cercados pela densa mata e estão dormindo, em um sono pesado demais, que só poderia vir da magia. Mas que tipo de bruxaria assolaria uma cidade inteira e seus habitantes? E, principalmente, quem faria mal a uma jovem rainha tão boa e tão bela? A não ser, claro, que os olhos não percebam o que um coração cruel pode esconder... Poder é o terceiro volume da trilogia Encantadas, e traz como história principal o conto da Bela Adormecida. Porém, esqueça os clichês tradicionais e se entregue a uma nova visão dos contos de fadas, em que heróis e anti-heróis precisam se unir para não perecerem à beleza superficial de princesas e rainhas egocêntricas e aos príncipes em busca de aventuras.
Depois de todas as emoções causadas por Veneno e Feitiço, ficou basicamente impossível não querer ler Poder imediatamente para descobrir quais outras surpresas nos eram reservadas. Nesse terceiro e último livro da saga encantadas temos como base duas histórias A Bela Adormecida e A Bela e A Fera.

Em Poder nós temos uma volta no tempo, o livro se passa antes do livro Veneno e aborda acontecimentos que futuramente levarão os personagens ao primeiro livro. O caçador e o Príncipe são os protagonistas da história. O rei depois de ver que o príncipe andava de mal a pior na esbornia resolveu dar a ele uma aventura, nela ele deveria encontrar um reino há muito tempo perdido, que segundo histórias era muito rico, mas do nada sumiu do mapa. E o escolhido para ajudar o príncipe nessa jornada foi ninguém menos que nosso caçador.
— Ele precisa de uma aventura — disse ela, pronunciando as palavras antes de refletir bem sobre o que havia dito. Todas essas noites de loucura... não lhe fazem bem. O que ele precisa é de uma boa aventura.
— Humm... — disse o rei. — Tinha pensado nisso, mas mandá-lo para fora do reino? Nosso único filho?
Um rei precisa conhecer o mundo lá fora — disse a rainha. — Ele precisa entender como os nove reinos são diferentes. Por que estão em guerra. Talvez encontrar um modo de fazer a paz com o inimigo.
Ele não pode fazer nada disso aqui.
Algum tempo depois de iniciar sua jornada eles encontram Petra a Chapeuzinho Vermelho e sua avó que lhes dão uma boa pista sobre o tal reino desaparecido, ele era completamente cercado por um muro de espinhos e nada parecia viver lá. Agora em companhia de Petra eles encontram e adentram o reinado, e encontram uma linda princesa adormecida eles a acordam, o que esses três não esperavam é que acorda-la traria consequências devastadoras.
— Ela está acordando — sussurrou Petra. No copo ao lado da cama, a rosa com todas as suas pétalas florescia novamente em toda a sua beleza.
Um barulho de coisas batendo veio de algum lugar próximo, seguido por uma exclamação breve. Lá fora, um cavalo relinchou.
— Não apenas ela — disse o caçador ficando de pé. — Eles todos estão acordando.
Nesse livro podemos ver bem melhor o quão fútil e cagão é o príncipe (longe de ser encantado), ele demonstra isso durante os outros livros, mas não tanto quanto nesse. Eu sinceramente não sei se ele é arrogante ou muito inocente.
— Ele precisa crescer — disse ela, bebendo seu chá. — Infelizmente, acho que nós o estragamos.
— É muito difícil não estragar um príncipe — respondeu mal-humorado seu marido, o rei. — Sem dúvida, meu pai me estragou. Um príncipe deve se sentir superior. De que outro modo é possível se tornar um bom rei algum dia?
O Caçador sem mostra ainda mais encantar, humilde e carismático nesse livro, tudo que ele queria era continuar em seu aconchego, mas assim como nos outros livros ele encara sua missão com a cara e a coragem tentando ao máximo ter êxito.
— Os homens do rei estão procurando você. — O pai levantou a mão. — Não é nenhum problema. Vieram buscar o melhor jovem caçador, e os anciãos todos o escolheram.
— Eu sou o melhor — murmurou o caçador. — Mas o que é que eles querem que eu cace?
Ele espiou pela janela e viu vários soldados em uniformes reluzentes montados em cavalos puros-sangues.
— Querem que sirva de babá para o príncipe e o acompanhe em uma viagem até o pé do Monte Ermo.
Sinceramente fiquei completamente encantado por Petra, ela é forte e destemida para uma garota, fora toda a ajuda que ela oferece ao caçador e ao príncipe durante a aventura deles. E por seu grande interesse por algo que parece viver dentro do muro de espinhos.
— Eu vou até esse muro — disse Petra de repente. Seu rosto estava corado e vivo. — Ás vezes ouço um som vindo do outro lado. O eco de um grito solitário. Isso me assombra.
— Acho que é bem mais do que isso, querida. — Os olhos da avó brilhavam com carinho ao olhar para ela. — Você deveria ir com eles.
— Ah não — disse Petra, segurando o braço da avó. — Vou ficar aqui com você. Quero que esteja em segurança.
— Não seja boba, querida. Não são só os homens que precisam de uma aventuras, sabia? Todo mundo precisa encontrar o próprio destino. E se há alguma coisa além daquele muro que está chamando você, precisa descobrir o que é. As coisas são assim.
Criei uma expectativa enorme sobre esse livro, principalmente depois de ter achado Veneno e Feitiço perfeitos, mas Poder não conseguiu me impactar tanto quanto os outros dois livros da saga Encantadas, não estou dizendo que o livro é ruim, longe disso a escrita da autora continua maravilhosa, os detalhes picantes continuam lá nos momentos certos. Mas essa ambientação no passado não me agradou, assim como forma como a princesa adormecida foi abordada. Mas não tenho como negar que há pontos positivos, como conhecer melhor o Caçador e a história de Petra.

Poder fecha a saga Encantadas de forma eficaz e gostosa, o cuidado da editora com a saga foi maravilhoso (But eu já disse que prefiro as capas originais? hahaha ), ainda que eu não tenha gostado tanto quanto gostei dos outros dois, o livro tem uma leitura rápida e agradável e a autora soube concluir bem a série, sem deixar furos na trama.

Classificando:

2 comentários:

  1. Ri muito com a sua descrição do príncipe. Realmente, essa autora renovou tudo Kkk Estou quase comprando o box com os livros, mas ta difícil com essa vida de quem ganha um salário de estagiária D: Amo as capas dessa trilogia, mas não posso dizer muito já que não vi as originais. Pena que 'Poder' não tenha agradado tanto, tanto, mas pelo menos te deixou satisfeito com o desfecho. =D

    Blog | Paixonites Literárias Xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natiii *_*
      Ai o Príncipe é uma negação, por isso que as meninas vivem atrás do lobo mau hoje em dia!! kkkkkkkkkkkkk
      A sim a trilogia é muito boa gostei bastante, Poder não foi fantástico como os outros dois, mais ainda assim foi bom!! Espero que compre e consiga ler!! ;*

      Xo

      Excluir