31 de março de 2015

Resenhando Filme: O Sétimo Filho

Título: O Sétimo Filho (Seventh Son)
Direção: Sergey Bodrov
Gênero: Ficção
Duração: 102  min. 
Lançamento: 12 de Março de 2015
John Gregory é o sétimo filho do sétimo filho e mantém uma cidade do século XVIII relativamente bem e longe dos maus espíritos. No entanto, ele não é mais jovem e suas tentativas de treinar um sucessor foram todas mau sucedidas. Sua última esperança é um menino chamado Thomas Ward, filho de um jovem fazendeiro. Seu primeiro desafio será grande: Ele terá que enfrentar a Mãe Malkin, uma terrível e poderosa bruxa, que escapou do seu confinamento quando o grande mestre Gregory estava afastado da cidade.

Eu quis ver O Sétimo Filho por dois motivos, primeiro porque esse era mais um dos filmes da Julianne Moore que eu queria ver esse mês e porque a história parecia boa e foi baseada num livro, com uma combinação dessas ficou basicamente impossível não ir ver esse filme no cinema.

Mãe Malkin foi uma das piores inimigas de Gregory, e assim que pode ele a aprisionou e assim ela ficou por muito tempo "cozinhando em fogo brando" seu ódio pelo Caça-feitiço, mas a proximidade com uma lua vermelha fizeram seus poderes ficar mais fortes e ela consegue enfim escapar de sua prisão.

Gregory foi convocado para cuidar de uma criança infectada, e sim ele consegue liberta-la, mas ao fazer isso ele acaba descobrindo que era Malkin quem havia possuído a criança, ela se deixa capturar por Gregory propositalmente e no último momento ela captura e mata o aprendiz de Gregory mostrando que ela estava apenas começando sua vingança contra ele e que ela estava muito mais poderosa do que antes.

Após perder mais um aprendiz, ela sai em busca de mais um sétimo filho de um sétimo filho para que ele posso treinar e enfrentar Mãe Malkin, é nesse momento que conhecemos Thomas ele mora longe, mas já tinha tido visões da aproximação de Gregory e ele esperava que ele realmente estivesse vindo, o que ele mais queria era fugir do lugar inóspito que vivia, mas ele não imaginava o perigo que teria que enfrentar.

Não vou mentir para vocês que eu curti o filme e dei algumas boas risadas, mas sinceramente é impossível não reparar na quantidade de clichês presentes no filme, ele grita clichês, infelizmente não posso citar, pois, seria spoilers. Também não fiquei nem um pouco agradado com a ranzinzice e arrogância de Gregory acho que exageraram nisso no filme a ponto de ficar chato e a gente desejar que Mãe Malkin matasse ele. Mas o filme em si não foi de todo ruim eu adorei a cenografia do filme e parte dos efeitos especiais.

Eu achei muito interessante a desenvoltura da Julianne com seu papel de bruxa, soou até estranho para mim depois de ter visto Para Sempre Alice, mas definitivamente esse não foi o melhor papel dela, eu gostei bastante do Ben Barnes como Thomas.

O Sétimo Filho é bom filme bom para se distrair numa tarde sem o que fazer, você vai dar boas risadas ou não, não é o melhor filme do gênero, alguns erros foram cometidos, mas ainda assim da para dar uma chance ao filme. 

Observações: 
—  O filme deveria se chamar O Vidente e não O Sétimo Filho;
— Não resisto vou contar um dos clichês, o cara caça feiticeiras e por quem ele se apaixona? Pasmem por uma feiticeira;
— Perca as esperanças se você ainda tiver de acontecer uma sequência, o filme foi um fiasco nos EUA vendeu só 17 milhões e custou 95 milhões; 
— Continuo com a tese de que está havendo uma invasão dos atores de Game of Throns em Hollywood;
John Snow é um bosta, até nesse filme hahahaha.

Classificando:

Nenhum comentário:

Postar um comentário