9 de julho de 2015

Resenha - Sete Dias Sem Fim - Jonathan Tropper

Título: Sete Dias Sem Fim (This Is Where I Leave You)
Autor: Jonathan Tropper
Editora: Arqueiro
Ano: 2014
Páginas: 304
Livro cedido pela editora para leitura. 
Judd Foxman pode reclamar de tudo na vida, menos de tédio. Em questão de dias, ele descobriu que a esposa o traía com seu chefe, viu seu casamento ruir e perdeu o emprego. Para completar, seu pai teve a brilhante ideia de morrer.
Embora essa seja uma notícia triste, terrível mesmo é seu último desejo: que a família se reúna e cumpra sete dias de luto, seguindo os preceitos da religião judaica. Então os quatro irmãos, que moram em diversos cantos do país, se juntam à mãe na casa onde cresceram para se submeter a essa cruel tortura.
Para quem aprendeu a vida inteira a reprimir as emoções, um convívio tão longo pode ser enlouquecedor. Com seu desfile de incidentes inusitados e tragicômicos, Sete dias sem fim é o livro mais bem-sucedido de Jonathan Tropper. Uma história hilária e emocionante sobre amor, casamento, divórcio, família e os laços que nos unem – quer gostemos ou não.

Quando anunciaram o laçamento do filme eu fiquei com bastante vontade de ver, fora que uma atriz que eu adoro está no elenco, mas só descobri a existência do livro porque ele foi adaptado para o cinema, fui dar uma olhada no que o livro oferecia também fiquei interessado, então resolvi solicitá-lo para Arqueiro para resenhar aqui no blog!

Judd não sabe mais o que fazer de sua vida, está se divorciando de sua mulher pois, a pegou em sua cama com seu chefe, automaticamente ele ficou sem emprego, está sem casa, morando no porão dos vizinhos idosos que atrapalham seu sono de tanto que ambos vão ao banheiro durante a noite e para completar seu pai acaba de falecer e ele terá que fazer uma das coisas que mais evita em sua vida, encontrar seus familiares.

Logo antes do velório vem uma grande surpresa para toda a família, o último desejo do pai era que todos cumprissem a shivá, um período de luto do judaísmo, mas a shivá dura nada mais e nada menos do que sete dias, é a partir desse momento que Judd nota que as coisas que já não estavam boas para ele podem acabar ficando piores ainda! Tendo que ficar sob o mesmo teto durante sete dias com sua família e recebendo visitas que nem sempre estão lá para saudar a família em luto.
— Uma semana? 
— É o tempo da shivá. 
— A Gente não vai mesmo fazer isso, vai? 
— Foi p último desejo dele — diz Wendy, e nesse instante penso ouvir a dor nua e crua lá no fundo de sua gargante. 
— Paul concordou com isso? 
— Foi ele mesmo quem me contou. 
— O que ele disse? — Que papai queria que a gente cumprisse a shivá.
Em meio a shivá Judd revê sua vida e onde ele pode ter errado, enquanto isso ele tem que suportar a língua afiada de sua irmã Wendy a indiferença de seu irmão Paul e as loucuras de seu irmão mais novo, mas não tão novo, Phillip e descobrir o que ele irá fazer de sua vida a partir desse momento.

Judd sinceramente passou longe de ser um dos meus protagonistas prediletos, eu até dei umas boas risadas com algumas situações, mas infelizmente não consegui fazer nenhuma conexão com ele além disso, Judd é um completo porre de tão chato, ele é um sonhador e muito coitadinho, age com se o mundo não gostasse dele e tudo de ruim acontecesse somente com ele.

Paul iniciou com um personagem sem graça, mas com o passar da história passei a gostar mais dele e a entender bem melhor suas atitudes e por mais que eu não concorde com tudo, ainda assim acho que ele certa razão em agir como agia, ele era o braço direito do pai e foi ele quem continuou a manter a empresa da família funcionando.

Wendy foi definitivamente dos quatro irmãos a que mais gostei, ela tem a língua afiada e não a segura para ninguém, Wendy mantém um casamento que nem ela mesmo entende, mas ela ama o seu marido e seus filhos assim como ama seus irmãos e a maioria das minhas risadas vieram de algo que ela falava.
— Papai morreu — diz Wendy sem a menor cerimônia, como se isso já tivesse acontecido antes, como se acontecesse todo dia. Às vezes dá nos nervos esse jeito dela de nunca se abalar, mesmo diante da pior tragédia. — Faz duas horas.
Phillip é o mais louco dos quatro irmãos, se você acha que a vida de Judd está ruim imagina a de Phillip, ele vive se metendo em encrencas, não tem uma vida estabilizada e não consegue ser de nenhuma forma monógamo, destruindo assim qualquer chance de ele manter um relacionamento por muito tempo por mais que ele goste da mulher.
Sou tentado a observar que aparecer meia hora atrasado no enterro do pai talvez também pudesse sei interpretado como falta de respeito, mas seria inútil. Phillip sempre foi alegremente impermeável a conselhos e criticas.
Bem a leitura do livro não foi fácil, eu não vou negar, eu ficava muito irritado com o Judd como eu falei ele é um protagonista muito insuportável, vivia se fazendo de coitado, sonhando acordado como seria vida e isso tornou a leitura muito lenta e chata, acho que algumas informações contidas no livro poderiam ter saído na revisão final sem problemas nenhum.

Mas nem tudo são horrores, enquanto Judd é um pessimo personagem eu simplesmente fiquei encantado com a maioria dos outros personagens, são as histórias deles que realmente fazem valer a pena a leitura do livro, eu não fiquei satisfeito com o final de Judd, mas fiquei feliz com o final de todos os outros personagens da trama.

Sete Dias Sem Fim não foi uma leitura maravilhosa, mas também não ao todo foi ruim, eu não consegui me identificar com o protagonista, mas tenho certeza que muita gente irá. A capa do livro é baseado no pôster do cinema então não é grande coisa, a diagramação do livro é básica, não encontrei nenhum problema com a revisão do mesmo e a fonte tem um tamanho bom para leitura.

Classificando:

16 comentários:

  1. Não conhecia esse livro. Ele tem uma cara de série de TV, né? Lembrei de Brothers and Sisters rsrs #saudade
    Bom, uma família inteira obrigada a ser reunir por 7 dias? Como vc disse, uma eternidade! Vai desencadear muito problema, com certeza! Gostei da Wendy que fala o que pensa rs. Talvez eu achasse a leitura legal pq eu sou maníaca por séries e gosto de acompanhar esses dramas kkkkkkk

    ResponderExcluir
  2. Oi, já havia visto o livro mas nuncas li, na verdade nem sabia sobre o que fala a história. Ainda não sei se vou querer ler, estou meio hesitante em lê-lo, tanto posso gostar como não e tenho medo de não gostar. Bjus.

    ResponderExcluir
  3. Oi Alisson, eu sempre falo que mesmo que a leitura não seja 100% nós sempre tiramos algo bom da leitura! Apesar do que falou fiquei curiosa sobre o livro, espero um dia ter a oportunidade de conhecer ^^

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  4. Ali você sabe que gosto muito do autor, então talvez eu seja suspeita na hora de opinar. Porém, Sete dias sem fim não é meu livro preferido dele e quando o peguei para ler já esperava o tipo de narrativa que você chamou de chata, é uma característica do autor e se você compreende o personagem e tudo pelo que ele passa você compreende que ele é apenas humano e o ser humano é chato kkkkk. Bom, quanto aos personagens secundários você tem rezão, eles se tornam algo importante na história e se impõem muitas vezes sendo mais interessante que Judd, mas acredito que é porque os vemos pelos olhos dele e como ele vês os irmãos e todos os outros. Enfim, eu gostei bastante desse livro, só não acho que seja o melhor do autor :)

    ResponderExcluir
  5. Não conheço o autor, então não sei como é a escrita dele, mas fiquei bem curiosa para ver, acho que irei gostar do livro, vou procurar saber mais sobre ele

    ResponderExcluir
  6. Oi, Alisson!
    Mesmo o protagonista sendo tão chato ainda assim fiquei com vontade de ler pelos outros personagens serem tão divertidos.
    Pena que a edição não teve nada demais, né?
    Abraço!!

    ResponderExcluir
  7. Heiii Alisson!
    Nossa, to por fora de tudo, nem sabia do filme e mto menos do livro.
    Mas pelo que li da resenha nao animei mto com nenhum dos dois.
    Nao sou mto fã de histórias que são apenas trágedias com o protagonista, sei la, acho mto surreal e pelo que vi o Judd ainda se faz de coitado, affff... mimimi comigo não dá!
    Mas bacana saber sobre o shivá, nao sabia dessa curiosidade e até procurei saber no google, adoro conhecer culturas e costumes novos.
    Bom que vc ja deu uma geral no livro e no filme e decidir que nao vou ver..hehe
    Bjus

    ResponderExcluir
  8. Parece ser um livro razoável... tem seus momentos, mas não parece ter nada espetacular.
    E realmente é chato personagens coitadinhos demais..

    ResponderExcluir
  9. Oi, Alisson.

    Nem conhecida o livro, mas só de saber o protagonista é chato eu desânimo. Estou fugindo de leitura tediosas ou arrastadas.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Eu confesso que não conhecia nem o filme e nem o livro, e que só agora reparei no autor, que é que eu adoro! Infelizmente acho que não faria essa leitura. Como tu disse, um protagonista chato desses impede a conexão do leitor com ele, e assim acaba frustrando a história. Acho o enredo interessante, mas não tão original, esperava mais do Jonathan, admito.

    ResponderExcluir
  11. Oiiii, eu já ouvi falar do filme, mas eu não sabia que tinha livro, e confesso que não senti vontade de ler e nem de ver o filme, e pelo visto eu estava certa, não gosto de livros que a leitura vai se arrastando e com protagonistas insurportaveis, não pretendo ler o livro, mas o filme pode até ser que eu mude de ideia.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  12. Olá, gostei bastante da resenha e confesso que ainda não conhecia. Talvez eu dê uma chance ao filme, mas não sei se eu leria o livro, porque não parece ser do meu estilo. Enfim, gosto é gosto né?
    Mesmo assim a sua escrita está de parabéns
    Abraços!

    ResponderExcluir
  13. Oii! Eu ainda não li esse livro :\ falando da adaptação eu gostei bastante e achei bem divertido, mas os livros são sempre diferentes; E baseada na sua resenha eu tenho quase certeza que vou acabar não gostando tanto assim da leitura. É muito ruim quando lemos algo e não nos conectamos com o protagonista, as vezes mesmo que tenha outros ótimos personagens parece que a historia não fica tão bacana assim.

    ResponderExcluir
  14. Aquele livro que só continuamos na leitura pelo personagens secundários e não pelo personagem principal, mano esse livro parece ter um personagem principal que é um porre e tenho absoluta certeza que não vou gostar desse livro, personagens principais assim me fazem ter a impressão que não tem avanço por parte do personagem e acabo abandonando o livro, por isso passo essa leitura ^^ Mas que bom que você continuou na leitura.

    ResponderExcluir
  15. Nunca ouvi falar do filme/livro. Essa capa parece série de Tv suuuffj o filme é melhor que o livro ou não? fiquei com mais vontade de ver o filme do que ler o livro

    ResponderExcluir
  16. Nunca tinha ouvido falar deste livro Ali, a capa me chamou atenção, mas o conteúdo nem tanto.
    Não sei se vou dar uma chance para o livro, mas se der espero gostar.
    Beijos!

    umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir