25 de agosto de 2015

Resenha: Antes de Partir Desta Pra Uma Melhor - Jonathan Tropper

Título: Antes de Partir Desta Pra Uma Melhor
Autor: Jonathan Tropper
Editora: Arqueiro
Ano: 2015
Páginas: 256
Livro cedido pela editora para leitura 
Não é preciso ser nenhum gênio para perceber que a vida de Drew Silver é uma sequência de decisões equivocadas. Faz quase uma década que sua banda de rock emplacou uma música, filha única de mãe solteira. Desde então, a banda se separou, sua mulher o largou e Silver tem assistido a vida passar, tocando em casamentos – quando aparece algum – e descontando os cheques cada vez menos frequentes que recebe pelos direitos autorais de seu único sucesso. Silver então descobre que a ex-mulher está prestes a se casar de novo e que a filha adolescente, Casey, está grávida. Para completar, depois de sofrer um derrame que o deixa incapaz de controlar a língua e guardar para si o que pensa, ele precisa de uma cirurgia no coração. Diante desse cenário, o músico fracassado depara com a pergunta decisiva: será que vale a pena salvar uma vida tão mal vivida? Assim, sob o olhar exasperado da família, ele toma a decisão radical de se recusar a fazer a cirurgia e dedicar o pouco tempo que lhe resta a tentar consertar o relacionamento com Casey e aproveitar a vida – mesmo que ela não dure muito. Com diálogos rápidos, irônicos e sagazes, Jonathan Tropper confirma sua habilidade em retratar com humor e perspicácia o lado oculto da família moderna.
Solicitei esse livro a Arqueiro basicamente as cegas, solicitei ele apenas pelo nome do autor eu ouvia tão bem dele e estava para ler Sete Dias Sem Fim quando ele foi lançado.  Mas o que eu não esperava era que eu não fosse me identificar com o outro livro do autor e quando esse enfim chegou, não nego que foi meio torturante e pensar que eu teria que encara o mesmo tipo de leitura, mas ainda assim tomei coragem e comecei a ler o livro.

Silver já teve tudo o que homem poderia querer, fama, uma família com uma mulher linda e uma filha encantadora, mas as coisas não correram como ele esperava. A banda que ele fazia parte se separou, Denise sua mulher, agora ex, o deixou e com ela foi todo o gosto que Silver tinha pela vida. Ele agora assiste sua vida passar na beira da piscina com seus dois amigos também divorciados e se amargura pelas decisões que ele tomou em sua vida.
Silver tem (por incrível que pareça) 44 anos, está fora de forma e deprimido — embora não saiba se cabe usar o termo depressão quando se tem bons motivos para estar deprimido; talvez, nesse caso vocês esteja simplesmente triste, se sentindo sozinho, ou tenha, diariamente, a dolorosa consciência de todas as coisas que nunca mais poderá ter de volta.
Mas, em mais um dos seus belos dias de fazer vários nadas, sua filha Casey aparece, o que é estranho já que ele acredita que ela o odeia por tê-la abandonado quando se separou de sua mulher, mas então ele descobre o motivo pelo qual ela o procurou, Casey está gravida e não quer decepcionar a mãe com esse descuido e decide procurar o pai para que ele a ajude com a interrupção da gravidez. Silver fica feliz e triste por ela tê-lo procurado, afinal ela não quer decepcionar a mãe, mas ele pelo jeito ela não se importa de decepcionar e ele não a julga por isso.
— Foco, Silver. Temos assuntos importantes a tratar.
— Tipo?
Ela vira o rosto para ele, com um sorriso sarcástico nos lábios, mas seus olhos estão arregalados, e ele percebe que ela está tremendo.
— Tupo... — responde ela — estou grávida.
Silver leva Casey a uma clinica onde ela pode interromper a gravidez, mas ao chegar lá ele passa mal, Silver acorda no hospital sem entender o que aconteceu, mas logo descobre que ele teve um derrame e que ele precisa urgente de uma operação no coração, que se não for feita acarretará em sua morte. Nesse momento Drew Silver olha para sua vida fracassada e pensa se vale apena viver uma vida tão triste e solitária? Ele decide que não, ele não fará a operação, ele tentará usar o tempo que o resta para consertar alguns de seus erros e nesse meio tempo Silver aprende coisas que em anos ele não aprendeu.
O médico diz que ele vai morrer é o mesmo homem que vai se casar com a sua ex-mulher dali a duas semanas e meia, o que é poeticamente justo ou, pelo menos, o tipo de golpe cármico que é emblemático de sua vida naquelas dias.
Inicialmente Silver me aborreceu pra caramba, nossa achei muitíssimo idiota a decisão dele de não querer fazer a operação, mas com o passar da leitura ele me conquistou com sua falta de noção, e algumas de suas tentativas mesmo que algumas falhas de mudar as besteiras que ele fez em sua vida. O que mais gostei nele é que ele estava perdido, mas ainda assim conseguiu se encontrar. Isso tudo claro sem contar com a quantidade de risadas que ele me fez dar por não conseguir segurar a língua.

Casey é uma garota forte, inteligente e cabeça dura igual ao pai, ela sente magoa do pai, não por ele ter se separado, mas por tê-la deixado de lado quando se separou, mas ainda assim ela não consegue deixar de amá-lo e esse é um dos motivos por quais ela me encantou.

Mas de longe os personagens me mais me agradaram foram Jack e Oliver os amigos de Silver, não tem nada melhor e ao mesmo tempo pior do que estar com pessoas na mesmo situação que você e com esses caras a gente nota que as coisas podem ser ruins mais tem que se divertir ou pelo menos tirar um sarro da cara de alguém.
— Oliver está no estacionamento.
— Diga para ele manter o carro ligado.
Jack levanta as sobrancelhas e examina Silver em sua camisola de hospital
— Você vai dar no pé?
— Nós vamos.
— Isso é prudente?
— Não
Jack balança a cabeça, depois sorri e pega o celular.
— Maneiro.
Bom gente sendo sincero com vocês eu comecei a ler esse livro sem animo nenhum, fiquei completamente desgostoso com a ultima leitura do autor, mas me releguei a me entregar a tal estigma e me entreguei a leitura. Mas no inicio além de ficar entediado ainda tive raiva do personagem, tive altos debates com a Juliana do LiteRata sobre o Silver e a Ellery de Para Sempre Black e concordamos que ambos são egoístas e um pouco idiotas.

Mas voltando ao ponto ainda que eu tenha me aborrecido no começo, não poço negar que ao me entregar a leitura eu realmente consegui apreciar a história e passei a ver o Silver com outros olhos, tornando assim a leitura muito mais gostosa e surpreendente do que eu esperava. Gostei muito do tom sarcástico e as vezes dramático do livro/personagens. Com esse livro Jonathan conseguiu fazer eu mudar minha opinião sobre ele, de, não ler nada mais dele, para, um dia leio outro livro dele.

Antes de Partir Desta Pra Uma Melhor é uma leitura divertida, dramática e verdadeira de como uma pessoa pode se perder em meio a um turbilhão em sua vida, mas que por mais perdido e confuso que esteja é sim possível, se encontrar e tentar dar um novo e melhor rumo a sua via. Sinceramente eu não gostei muito da capa, na verdade nenhum das capas, incluindo as internacionais, que o livro recebeu me agradou. A diagramação do livro é boa, não encontrei nenhum erro de revisão e a fonte tem um tamanho agradável para leitura.

Classificando:

15 comentários:

  1. Esse livro me lembrou um pouco "O Substituto", do David Nicholls. Acho que o Silver é tão fracassado quanto o Stephen, kkkkkk. Me parece um pouco idiota da parte dele não querer fazer a cirurgia, mas pode ser que isso se torne compreensível ao fluir da história. A arte da capa é legal e eu espero ter a oportunidade de ler.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  2. Confesso que pela capa eu não compraria hahaha Já vi vááárias pessoas falando bem dos livros desse autor, e sim por isso eu poderia comprá-lo. Vendo sua resenha, pude perceber que os personagens conquista o leitor aos poucos, por conta disso gostei do livro, além da história em si!

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei da capa...rs... gostei da história também, já tinha visto este livro por aí, eu ainda não li, mas já tinha ouvido falar. Acho que leria, faz meu estilo. Confesso que a primeira vez que vi o títilo imaginei algo com o filme Antes de partir, embora não seja igual á uma certa semelhança. Eu fiquei curiosa para saber se o personagem morre ou não, afinal tudo acontece em um livro, né...rs...
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Eu vi esse livro numa livraria e a capa (e o título) me chamaram a atenção :) Está na minha lista, fiquei muito curiosa para saber como o personagem irá lidar com esse turbilhão de coisas, tudo de uma vez.

    ResponderExcluir
  5. Estou doida pra ler esse livro, curto muito a escrita do Jonathan Tropper, parece ser bem emocionante e essa resenha me deixou ainda mais interessada em conferi essa história.

    ResponderExcluir
  6. Oi Alisson,
    Achei bacana a capa, mas nem a capa ou os diversos comentários a favor do livro me deram vontade de lê-lo =( pela sua resenha vi que os personagens vão conquistando o leitor aos poucos, talvez eu leia outro livro dele qualquer dia haha, mas não sei se será esse.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  7. Eu adorei a sinopse, inclusive, antes de ler o resto da resenha eu já tava colocando como desejado lá no skoob, mas esse negócio de ter raiva do personagem me desanimou bastante, porém, acho que isso pode ser justamente o que mais me prenda no livro, porque gosto desses personagens humanos, que são capazes de nos fazer odiá-los.

    Beijocas. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  8. nossa a capa não é nem um pouco sedutiva,mas gosto desse tipo de livro,como sempre você lacra com suas resenhas <3

    ResponderExcluir
  9. Oi Alisson
    Odiar um personagem faz parte. Isso sempre acontece comigo, as vezes, algum personagem me irrita.
    Pelo menos o livro te fez mudar de opinião.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Eu nao gostei mto do livro nao ao ler a sinopse e ver a capa.
    Nao considero o Silver um fracassado, acho que ele só deu azar demais na vida e pena que só viu que podia melhorar qdo estava doente.
    Ele nao fazer a operação parece estranho, mas acho que eu entendo ele...é uma motivação para ele correr atras do tempo perdido.
    Nao conheço o autor, mas sinceramente acho que o livro não é para mim.

    ResponderExcluir
  11. Que capa extremamente maravilhosa, um simples fundo vermelho com grandes efeitos sobre a cor do sangue, gostei demais. Bom saber que a estória é de leitura rápida e divertida, é uma pena que não gosto muito de livros que envolvam muito drama + superação. Mesmo assim, darei uma chance.

    ResponderExcluir
  12. adorei o nome do livro e a capa dele.. gostei tb da sua resenha, a historia me atrai e eu to querendo ler esse livro logo! .. fico feliz que tenha mudado de ideia em relaçao ao autor!

    ResponderExcluir
  13. Nossa lendo a sinopse da pra perceber que esse livro é do tipo como aquela frase, nada ta tão ruim que não pode piorar mais, mas com uma mensagem em que tem que se aproveitar a vida, mesmo que se tenha pouco tempo para isso, eu acho que se lesse esse livro ele me tocaria bastante, por este motivo adicionei ele em minha lista de leituras. Sua resenha está ótima.

    ResponderExcluir
  14. Ainda não li nada do autor, mas assim como tu, também ouvi falar muito bem de sua escrita. Confesso que o toque de realidade que encontramos nas tramas do autor me deixam bem interessada. Nesse não poderia ser diferente. O escritor parte de uma situação que poderia acontecer com qualquer um de nós, constrói personagens que poderiam ser até mesmo alguém que conhecemos, com problemas e falhas reais, para trazer reflexões que, querendo ou não, nos fazem pensar. Acredito que esse seja o grande diferencial de seus livros, e por isso ainda quero dar uma chance a ele.

    ResponderExcluir
  15. Oi ALi!! Tudo bem?
    COmo uma nata curiosa: QUal tinha sido o livro do autor que não tinha curtido?
    Que bom que mudou sua opinião sobre os personagens, porque anaão é ruim personagens que não gostamos.
    Beijos!!

    ResponderExcluir