11 de setembro de 2015

Resenha: Eu Te Darei O Sol - Jandy Nelson

Título: Eu Te Darei O Sol (I'll Give You Tha Sun)
Autor: Jandy Nelson
Editora: Novo Conceito
Ano: 2015
Páginas: 384
Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia. Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém. Contado em perspectivas e tempos diferentes, EU Te Darei o Sol é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.

Tomei conhecimento desse livro em uma das minhas buscas pelo Goodreads, estava em busca de livros que abrangesse a temática LGBT e Eu Te Darei o Sol foi um dos que apareceram para mim, li a sinopse e fiquei louco para ler, só três dias depois foi que descobri que a Novo Conceito lançaria o livro aqui no Brasil e claro que eu fiquei muitíssimo feliz e comprei no livro na pré venda. Eu estava tentando lê-lo desde o dia que ele chegou mais toda vez aparecia alguma coisa e o livro acabava ficando para depois mas enfim consegui ler e vim dizer pra vocês o que achei do livro.

Noah e Jude são irmãos e gêmeos, mas eles não poderiam ser mais diferentes enquanto Jude se parece fisicamente com o pai com seus belos cabelos loiros Noah se parece com sua mãe com seus cabelos negros, mas as diferenças não param por aí Noah vive sua vida como se ela fosse uma obra de arte e adora pintar e desenhar, já Jude gosta de viver a vida é se aventurar e ela tem um incrível dom com esculturas principalmente as feitas nas areias da praia.

Jude era adorada pelo pai, enquanto Noah nem tanto e mesmo deixa transparecer isso de certa forma e Jude o adorava mais do que tudo, mas tinha a mãe deles Noah sempre preferiu a mãe ao pai ela era sua heroína e sua estrela maior, mas ela não parecia ter um filho predileto, mas isso passou a mudar quando teve a ideia de inscreve-los na escola de belas artes da cidade e quando ela viu o talento nato de Noah para a pintura e desenho Jude se sentiu acusada e foi a partir desse momento que a relação o dos irmãos começou a ficar abalada.

Mas os problemas realmente começaram a aparecer com a chegada do novo vizinho, Brian, a conexão entre ele e Noah foi automática e eles viraram amigos instantaneamente passando todo o verão juntos, mas ao conviver com Brian, Noah começou a se abrir para o mundo e fazendo novas amizades. Noah acaba por fazer amizade com as amigas de Jude, e ela que já estava magoada por causa da escolha da mãe fica ainda mais irritada com Noah, acusando-o de lhe roubar a mãe e agora as suas amigas.
Não me importo em ter ignorado Jude naquela noite e em todas as noites depois dessa. Não me importo quando ela chega em casa e encontra Brian e as vespas na varanda, todas as vespas posando para mim como um fotografia que elas viram numa revista qualquer. Não me importo por ela ter dito naquela noite:
— Então a mamãe não bastava? Você teve de roubar todas as minhas amigas também?
A partir disso as coisa entre eles só pioram, e a bela ligação dos irmãos começa a desfazer até ser completamente rompida. Noah se transforma numa pessoa completamente diferente enquanto Jude se volta para a arte e passar a ver os fantasmas de sua avó. Mas nem tudo está perdido e o destino vai dar uma ajudinha para unir esses irmãos novamente.

Noah é um garoto sensível e delicado, mas não por ele ser gay, mas porque ele vê o mundo de uma forma totalmente contraria ao que pareceria real, ele vive arte, e os desenhos são a forma que ele encontra para se expressar, e por isso ele é motivo de chacota entre seus colegas da escola e por isso sempre é defendido por sua irmã Jude. Noah é um personagem encantador, intenso e marcante é simplesmente impossível não ama-lo.

Jude é o que se diria de uma garota normal, é popular, tem vários amigos e ainda surfa. Ela também tem uma veia artística mas, ela sempre fez questão de deixar isso em segredo, mas Noah sabia de seu segredo e sempre fazia registros das obras dela. Eu também amei a Jude, ela é um pouco egoísta e mesquinha, mas ainda assim ela é encantadora.

Brian é um garoto tão sonhador quando Noah, e por isso há instantaneamente uma conexão entre eles, mas além disso ele é popular em sua escola, resultado em ser popular em seu novo bairro também. Brian me encantou completamente, fiquei completamente apaixonado pelo personagem, a forma como ela faz Noah se abrir e crescer é incrível e claro fiquei torcendo pelo romance dele com o Noah.
— Acho que consigo adivinhar — diz ele. — Diria Van, não, Miles, sim, com certeza você parece um Miles.
— Noah — digo, como se a consciência disso tivesse acabado de me ocorrer. Sou Noah. Noah Sweetwine. — Deus. Senhor. Que idiota.
— Certeza?
— Sim, com certeza — digo, animado e estranho. Minhas mãos estão completamente presas agora. Bolsos são prisões para mãos. Eu as libero e bato palmas como se as mãos fossem címbalos. Meu Deus! — Ah, e qual é o seu nome? — pergunto, lembrando, apesar de meu QI estar próximo do QI de um vegetal, que ele também deve ter um nome.
— Brian — diz ele, e isso é tudo o que ele diz, porque está atento.
Ainda há outros personagens importantes para a trama e que em sua grande maioria eu também adorei, dentre ele estão Guilhermo que acaba por ser instrutor de esculturas de Jude, Oscar que tem uma ligação tanto com Noah quanto com Jude e não posso esquecer do Papagaio do vizinho e sua busca incessante por Ralph que me provocou boas risadas.
Ouço o novo papagaio do nosso vizinho, Profeta, pela janela aberta. "Onde está o Ralph?", grita ele. "Onde está a porra do Ralph?" É a única coisa que ele sabe diz, e diz isso vinte e quatro horas por dia.
Gente esse livro me deixou completamente desestruturado, eu chorei, tive raiva, ri, fiquei estupefato, me senti traído, reconciliei. A história é muito envolvente e você se vê torcendo pelos personagens loucamente. O livro é de derrubar forninhos, quando você pensa que não poderia ficar mais impressionado o livro vem e te da vários e consecutivos tapas na cara com suas reviravoltas e revelações, eu simplesmente amei a leitura do livro. Ele é narrado pelo ponto de vista de Noah e Jude em períodos de tempo diferentes, os capítulos são um pouco extensos e inicialmente isso me incomodou, mas com o passar da leitura em vez de incomodar passou a me deixar curioso sobre o que viria no próximo capítulo. Eu tinha uma grade expectativa quanto a esse livro e só vou dizer ela foi muito mais que ultrapassada.

Eu Te Darei o Sol é um livro lindo, que fala sobre amor, amizade, destino, maus entendidos e sobre tudo reconciliação. Os personagens são marcantes e envolventes assim como a história, Jandy fez um trabalho primoroso e encantador, sem duvidas um dos melhores livros do ano. A capa do livro é linda e depois de ler o livro ficou ainda mais linda para mim, a diagramação do livro é boa, não encontrei nenhum problema com a revisão e a fonte tem um ótimo tamanho para leitura.

Classificando:

11 comentários:

  1. Nossa, Alisson. Voce gostou mesmo do livro hein! Ele parece cheio e reviravoltas, o que é um ponto mais que positivo para o livro, e adoro me sentir assim quando leio, torcendo para os personagens. Adorei saber sua opinião, e ver tantos elogios. Afinal, o livro vale muito a pena. Ótima resenha.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Já está na minha wishlist *-* hahhaha,amei a resenha,só vejo resenha positiva acerca desse livro gente

    ResponderExcluir
  3. Oi Alisson!!
    Também estava vendo a repercussão do livro lá fora e fiquei bem feliz quando a Novo Conceito lançou, mas só vou fazer compras na Black Friday (promessa antiga kkk)
    O livro parece ser daqueles chorosos, apesar de que você disse que riu, ficou com raiva e tudo mais...
    Os melhores livros são os que provocam um pouco de cada sentimento no leitor.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Um livro perfeito.
    Quando sabe-se trabalhar com temas assim, a autora pode ir longe

    Abraço

    http://penelopeetelemaco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ah eu queria muito este livro. Foi por ele que cheguei aqui no seu blog, pelo seu top comentarista do mês passado que não ganhei...rs... Mas sem problemas, porque achei um ótimo blog, gosto muito das dicas que encontro aqui, foi um ótimo acaso...rs... A sua resenha está ótima, me passou tudo o que imagino que a história seja, gosto de livros que trazem o tema família e seus relacionamentos, parece um livro cheio de emoções. Gostei muito. E agora estou mais feliz ainda...heheheh... Eu ganhei ele no sorteio do skoob, pela bienal, então vou aguardar a chegada dele, e conhecer os detalhes desta emocionante história... =D
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. Eu estou interessado nesse livro desde o dia em que eu li a primeira resenha, e cada vez que vejo outra, fico com mais vontade ainda de querer lê-lo. Os personagens aparentam ser bem cativantes, apesar de terem personalidades totalmente diferentes. Sabe quando falam "Os opostos se atraem?", isso foi o que eu pensei quando li a resenha hsuahusa Por eu ter ganhado o livro aqui no blog (u.u), espero lê-lo em breve!

    ResponderExcluir
  7. Oi Alisson,
    Que maravilhosa essa resenha. Depois dela não tenho nenhuma dúvida que o livro é excelente, porque se te dá vários tapas na cara, te faz rir, chorar, brigar... enfim, se provoca esse mix de emoções com certeza merece ser lido. Não sei o motivo, mas gostei de Noah, espero que isso não mude com a leitura.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  8. O livro parece abordar temas importantes, tanto para os jovens quanto para os adultos. Além de romance, mistério e intriga, os livros da Jandy parecem ter uma escrita incrível . Estou louco para ler, espero que possa ter a oportunidade.
    Abraços :)

    ResponderExcluir
  9. Bom é um livro com um tema um pouco "pesado", usei esse termo por falta de outro no momento, pois lida com mtos problemas comuns ultimamente, primeiro essa inveja entre irmão, pois msm se amando existe essa disputa por preferencia e atenção, e tbm o fala de Noah ser gay, um assunto tão em alta atualmente! Não sei se leria este livro pois esse estilo não faz o meu, acho que não iria aceitar mto bem o livro e ler algo que não vá nos fazer bem não adianta!

    ResponderExcluir
  10. Oi Alisson, tudo bem?

    Adorei a sua resenha e estou com o livro e pretendo ler assim que puder, mas estava lendo tantas resenhas medianas sobre o livro que me desanimei um pouco... mas acho que está sendo assim com esse livro, uns amam e outros nem tanto. Adorei a parte artística do livro e a história sobre autodescoberta. Achei essa divisão de narrativa dos personagens e de tempo bem interessante, mas o tamanho de alguns capítulos com certeza me incomoda um pouco, mas se a história for mesmo boa, vai ser apenas um detalhe. A Jude parece ser bem mesquinha para mim, mas acho que também gostaria dela, mas adorei o que você falou do Noah e do Brian.

    Beijinhos,

    Rafa

    ResponderExcluir
  11. Alisson, Eu Te Darei O Sol era um livro que me deixava empolgado para o inicio da leitura, mas pude perceber que os aspectos presentes neles não é de meu total interesse. Claro! há alguns fatos que me interessam, mas não é uma leitura bastante esperada, a partir desta resenha.

    ResponderExcluir