9 de novembro de 2015

Resenha: Selva de Gafanhotos - Andrew Smith

Título: Selva de Gafanhotos(Grasshopper Jungle)
Autor: Andrew Smith
Editora: Intrínseca
Ano: 2015
Páginas: 352
Na pequena cidade de Ealing, Iowa, Austin e seu melhor amigo, Robby, libertam acidentalmente um exército incontrolável. São louva-a-deus de um metro e oitenta de altura, completamente tarados e famintos. Essa é a verdade. Essa é a história. É o fim do mundo e ninguém sabe o que fazer.
Com todos os elementos obrigatórios de um romance apocalíptico, Selva de gafanhotos mistura insetos gigantes, um cientista louco, um fabuloso bunker subterrâneo, um mal resolvido triângulo amoroso-sexual e muita, muita confusão, e está longe de tratar apenas do fim do mundo.
Engraçado, intenso e complexo, o livro fala de um jeito inovador de adolescência, relacionamentos, amizade e, claro, de temas um tanto mais inusitados, como testículos dissolvidos e milho modificado geneticamente. Um romance surpreendente sobre a odisseia hormonal, amorosa e intelectual que é essa fase da vida.
A primeira vez que tive notícia desse livro foi durante a Turnê Intrínseca que aconteceu aqui em minha cidade, eu simplesmente fiquei estasiado com a premissa do livro e logo fiquei louco para ler principalmente por abordar um pouco a temática LGBT, um tempo atrás eu descobri que Andrew também tinha escrito um outro livro que já tinha adorado o Minha Metade Silenciosa então claro que eu li esse livro sem esperar que ele não fosse menos que maravilhoso.

Austin vive numa cidade chamada Ealing nos Estado Unidos, onde nada acontece. Depois de uma grande recessão a cidade ficou basicamente as moscas e boa parte da população foi embora em busca de algo melhor em outro lugar. Austin estava com seu melhor amigo Robby no shopping de Ealing se é que ainda dava para chamá-lo assim, afinal apenas umas quatro lojas ainda continuam aberta. Eles utilizam o espaço para ficar andando de skate, enquanto tiravam um descanso e fumavam, Grant e seus três amigos se aproximaram deles e pediram os skates deles, porém Robby se negou e Grant e seus amigos acabaram dando uma surra em Robby e Austin e ainda jogaram os skates e seu sapatos no telhado do shopping. Depois que os garotos foram embora Robby com o nariz sangrando tentou escrever com o sangue que saia do nariz, mas ele acabou parando de sangrar antes de conseguir.
— Emprestem seus skates para mim e Tyler por uns minutos. A gente já devolve.
Tyler devia ser o garoto com cara de mula à direita de Grant, por que ele assentiu, todo animado, como um estímulo para que nós, os boiolas Candy Cane, fôssemos cooperativos.
Mas Robby negou antes mesmo que Grant terminasse de falar.
Depois da surra os dois foram a casa de Austin no carro de Robby para trocar de roupa, para irem a casa de Shann, a namorada de Austin. Austin vivia um grande dilema, ele vivia morrendo de tesão por Shann, o que ele mais queria era transar com ela, mas ele também se pegava sentindo tesão por seu amigo Robby e seu maior desejo era fazer um ménage à trois com Robby e Shann e seu tesão sempre vinha nas horas mais inoportunas que ele poderia pensar. Robby e Austin chegaram a casa de Shann, ela acabara de se mudar para a antiga casa do irmão do seu padrasto e a casa era assombrosa, então eles decidem sair para dar um passei pela cidade e acabam parando no shopping Ealing.
Shannon me beijou no boca na porta de sua nova casa velha.
Ela deu um selinho em Robby, também.
Ela sempre dava um selinho em Robby depois de me beijar.
Isso me deixava com tesão.
Imaginava o que ela diria se eu lhe sugerisse um ménage à trois com nós dois em seu novo quarto velho ainda sem móveis.
Os garotos deixam Shann no carro e vão atrás de suas coisas que Grant jogou no telhado, lá em cima eles descobrem um monte de coisas legais, fumam e o inesperado acontece Robby e Austei se beijam, o clima entre eles fica estranho, mas logo melhora quando eles encontram uma entrada para a loja do padrasto de Shann, eles acabam entrando, Austin trabalha na loja e sempre teve curiosidade com o que o chefe Jhonny guardava a sete chaves em seu escritório e ele aproveitou o momento para descobrir e não ficou muito encantado com o que encontrou, o que ele não esperava é que Grant e seus amigos também fossem invadir a loja e eles acabam roubando um dos itens da excêntrica coleção de Jhonny. Eles pegaram a Cepa de Praga IM 412E Contida ao sair da loja do Jhonny, ao sair do shopping os garotos acabaram derrubando e quebrando o globo exatamente onde Robby tentou escrever com seus sangue e era tudo que a praga precisava para começar a se desenvolver e assim Grant e seus amigos foram os primeiros infectados pela praga e assim começava o fim do mundo.
Talvez os garotos já estivessem bêbados. Não dava para saber com certeza. Mas aconteceu alguma coisa que fez Tyler soltar  o globo de vidro. Eu vi o círculo de luz despencar como uma lua cadente.
Austin está se descobrindo, descobrindo por quem ele sente atração e tudo mais, Austin é descendente de poloneses e é um tremendo egoísta, filho duma puta, que só pensa nele, que ódio que eu tive dele gente, há tempo não me irritava tanto com um personagem como me aborreci com Austin, a forma como ele trata a Shann e o Robby, simplesmente muito mesquinha.

Robby é o melhor amigo de Austin e ele se contenta com isso mesmo estando completamente apaixonado pelo amigo, ele o ajudou a conquistar Shann e o ajudaria fazer qualquer coisa que ele pedisse, Robby é um grande fofo e generoso, pensando sempre nos outros antes dele.

Shann não é de Ealing e isso a faz tão especial, principalmente para Austin, ele gosta da forma como ela usa palavras que ninguém em Ealing usaria, Shann gosta do Robby mas morre de ciúmes dele pois, ela sempre notou que ele é louco por seu namorado. Shann é diferente das garotos de Ealing ela gosta de aventuras, lê livros proibidos pela escola e é divertida.

Sem sombra de dúvidas a premissa do livro é maravilhosa, porém para mim a leitura foi completamente decepcionante, tanto pelo protagonista filho duma puta, simplesmente odiei o Austin, o fato de  estar se descobrindo não da o direito a ele de tratar Robby e Shann como ele os tratava e também não gostei muito da forma como a história foi abordada trazendo atona a história da família de Austin, me senti completamente enganado pela sinopse do livro, senti como se eu estivesse lendo  As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavender de novo, assim como no citado, eu achei estranho e desnecessário o acréscimo de história para outros personagens avulsos que no final acrescentou pouco ou nada a narrativa. Mas adorei a mitologia sobre a Cepa de Praga IM 412E Contida e todo o desenvolvimento dessa parte da história, a curiosidade com o que iria acontecer com os louva-a-deus foi o me fez seguir com a leitura.

Selva de Gafanhotos infelizmente foi uma decepção para mim, esperava bem mais por ser de um autor que já tinha me deixado completamente encantado com um outro livro seu, mas fui com muita sede ao pote e acabei me engastando. Porém eu tenho amigos que adoraram o livro, não funcionou para mim, mas como funcionou para eles, talvez funcione para você! Não vou negar que um dos fatores que me fez querer ler esse livro foi a capa, ela não poderia ser melhor para o conteúdo do livro, não encontrei nenhum problema com a revisão do texto, adorei a diagramação do livro a Intrínseca caprichou mesmo com as bordas amarelas, e todas as patas de gafanhotos na abertura das partes do livro e o tamanho da fonte promove uma ótima leitura.

Classificando:

6 comentários:

  1. Oi, Alisson
    Que pena que o livro foi uma decepção para você. Vi que muitas pessoas realmente não gostaram do livro, mas pouquíssimas eu notei que gostou. Já eu não curti muito a premissa do livro, mas quem sabe um dia me anime.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu conheci o livro pela divulgação aqui do blog. A premissa do livro não me interessou, e agora lendo sua resenha não consegui ter interesse em conferir a história do livro, não gosto de protagonistas que só fazem burrada na história, e este parece o Austin. Gostei da resenha e da sinceridade.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Sua resenha está muito boa, que pena que você se decepcionou com o livro, é muito frustrante quando esperamos muito de um livro e ele acaba nos decepcionando, lendo sua resenha, vi que esse livro não faz muito meu estilo de leituras, então, por este motivo não pretendo lê-lo.

    ResponderExcluir
  4. Oi,Alisson
    Confesso que esse tipo de livro que mistura temas apocalíptico e fantasia não me atraem tanto.Fico imaginando insetos verdes gigantes,outra coisa que não gostei é o tipo de ´´romance`` abordado entre Shannon ,Austin e Robby e isso misturado a invasão de insetos e fim do mundo,certamente não iria ler,agora que também foi uma decepção para você,tenho certeza.

    ResponderExcluir
  5. Não sei o que dizer, acho que é a primeira resenha negativa que leio por aqui e estou chocada, vai lavar a boca Alisson!!! kkkkkkkkkkkkkk Bom, esse livro não me interessou desde o começo, a não ser por uma resenha positiva que li, mas depois de ler sua opinião eu definitivamente vou passar bem longe desse livro!

    ResponderExcluir
  6. Eu tbm tô chocada com a sua resenha, Ali kkkkkk. Mas acho que compreendo sua decepção. Pra ser sincera só queria esse livro porque ele tem um arte incrível (fúúútil), mas a premissa não me chamou atenção. Depois da sua resenha então, desanimei total.

    ResponderExcluir