17 de agosto de 2016

Resenha: Apenas Um Garoto - Bill Konigsberg

Título: Apenas Um Garoto (Openly Straight)
Série: Openly Straight #1
Autor: Bill Konigsberg
Editora: Arqueiro
Ano: 2016
Páginas: 256
Livro cedido pela editora para leitura.
Rafe saiu do armário aos 13 anos e nunca sofreu bullying. Mas está cansado de ser rotulado como o garoto gay, o porta-voz de uma causa.
Por isso ele decide entrar numa escola só para meninos em outro estado e manter sua orientação sexual em segredo: não com o objetivo de voltar para o armário e sim para nascer de novo, como uma folha em branco.
O plano funciona no início, e ele chega até a fazer parte do grupo dos atletas e do time de futebol. Mas as coisas se complicam quando ele percebe que está se apaixonando por um de seus novos amigos héteros.
Vocês sabem como eu amo literatura gay não é? E fico completamente agradecido pelas editoras que abrem espaço para essas produções e lançam esse gênero aqui no Brasil, se eu não estiver enganado, este é o primeiro livro do gênero que a editora Arqueiro lança e fiquei realmente feliz por isso, eu ainda não tinha ouvido falar desse livro, a sinopse me assustou um pouco, mas ainda assim resolvi solicitá-lo e descobrir o que esse livro me proporia.

Rafe vive uma vida que muitos sonham, ele é assumidamente gay desde seus 13 anos, tem uma família que o ama e o apoia, nunca sofreu bullying na escola, tem uma melhor amiga que o ama e te da todo o apoio que ele precisa. Porém Rafe sente que algo está errado, que mesmo tendo uma vida que muitos gostariam de ter, alguma coisa não está encaixando, ele se sente sufocado por ser conhecido como o garoto gay.
Não acho que ser gay seja uma maldição. Definitivamente não é. Mas sabemos que sair do armário traz um monte de coisas que tornam a vida mais difícil. Mesmo que você tenha pais maravilhosos e uma escola que o trate bem, a revelação acrescenta algo à sua vida. O pior é como todo mundo olha para você de um jeito diferente. Eu fiquei cansado de ser olhado.
E assim Rafe decide deixar tudo para trás e ingressar numa nova escola, longe de sua antiga vida, ele decide não expor sua orientação sexual, para descobrir como seria conviver entre pessoas sem que o rotulo de gay estivesse explicito, ele queria ser conhecido apenas como mais um dos garotos da escola, e logo ele vê que seu plano parece estar dando certo, ele é acolhido pelo grupo dos garotos atletas da escola.

Tudo corre muito bem, mas com o passar do tempo fica cada vez mais difícil para Rafe conviver com a omissão de sua orientação sexual, tanto pelas piadinhas homofóbicas que ele ouve de alguns garotos do grupo dos atletas, ou pelo fato dele ter ficado completamente apaixonado por um de seus novos amigos, e agora ele não sabe como desfazer a mentira sem perder a pessoa que ele mais ama.

Rafe foi um daqueles personagens que a gente já começa revirando os olhos, que a gente pensa que garoto egoísta e mal agradecido, mas com o passar da história a gente vai o conhecendo melhor, e descobrindo que ele tem suas duvidas, seus medos, suas razões para tomar tal decisão, foi nesse momento que eu o acolhi e o amei.

Os pais de Rafe sem duvidas são maravilhosos, ele são completamente mente aberta e amam o filho mais do que tudo nesse mundo e estão dispostos a tudo para vê-lo feliz, até mesmo fingir que o filho não tem um rotulo de gay, perante seus amigos do novo colégio, mesmo quando eles não acham a ideia legal.
— Estou cansado de ser o garoto gay. Não quero mais isso para mim. Eu só quero ser, tipo, um garoto normal.
— Ah, querido. Não existe isso de garoto normal... Poxa. Estou tão decepcionada. Não sei direito como reagir.
— Você não precisa reagir a nada. Basta ser minha mãe.
— Ser mãe do Rafe hétero, você quer dizer - disparou ela, sem rodeios.
— Por que preciso ser rotulado de um jeito ou de outro?
Clarie Olivia é uma das melhores amigas de Rafe, ela o entende e tem uma conexão gigante com ele, assim como o pais de Rafe ela está sempre ali para ele, Ben é o melhor amigo de Rafe na Natick, a nova escola em que ele foi estudar, Ben é um dos personagens mais carismáticos e fofos do livro, e que me conquistou com muita facilidade.

Honestamente esperava que esse livro fosse ser uma tremenda decepção, por que um garoto que está completamente em segurança iria decidir viver algo completamente diferente e contrário ao que ele é? Seria muito egoísmo da parte dele, porém, ao longo da história ficou tudo muito claro e eu entendi toda a situação. Eu realmente amei a leitura do livro porque me vi tantas vezes nele, a história me conquistou, sofri, ri, me emocionei com Rafe, eu queria abraçá-lo e dizer que tudo ficaria bem!

O livro trata sobre autoconhecimento e me impressionou porque foi necessário que Rafe saísse de sua zona de conforto para que ele pudesse finalmente ser capaz de se encontrar e conhecer melhor a pessoa que ele é! O livro ainda fala sobre amor e amizade e o quanto esses sentimentos são importantes para a formação das pessoas que somos e claro não posso deixar de falar também sobre rótulos, fica claro como ele incomoda, não somente a pessoas gays, rótulos causam desconforto a todas as pessoas que recebem um, e o livro só mostra que as vezes tudo que uma pessoa quer é ser reconhecida apenas como pessoa e não apenas por um rótulo.
Eu silenciosamente me despedia de uma parte de mim: meu rótulo. Aquela palavra que me definia como uma coisa só.
Muitas vezes isso me limitava.
E para a felicidade da nação ou pelo menos para a minha o autor já está escrevendo a sequência para o livro que se chamará Honestly Ben (Honestamente Ben, em tradução livre.) e está previsto para ser lançado em 2017 e estou esperando loucamente que a Arqueiro o lance aqui no Brasil o mais rápido possível.

Apenas Um Garoto foi uma das melhores surpresas desse ano, eu não esperava muito dele mais ele se mostrou muito maior e mais envolvente do que esperava. A capa do livro é uma graça com a parte laranja envernizada e a branca com textura de papel ficou muito boa, não encontrei nenhum problema de revisão, a diagramação está muito boa e a fonte tem um tamanha agradável a leitura.

Classificando:

Um comentário:

  1. Oii!!

    Tenho visto alguns autores escreverem sobre o tema "homossexual", porém não me chama muito a atenção. Entendo que todos devem ler, esquecendo do que refere ao bullying, mas penso somente nisso quando encontro um livro assim. Penso que eles devem mostrar um lado diferente da história, pois assim as pessoas vão ver com outros olhos e entender que é tudo muito comum no mundo.

    Ps. Se estive programando de criar um sorteio, pode contar comigo para participar e doar livros.

    =D

    http://doublehappiness2you.blogspot.com.br

    ResponderExcluir