30 de setembro de 2016

Resenha: Sobre Garotos Que Beijam Garotos - Enrique Coimbra

Título: Sobre Garotos Que Beijam Garotos
Autor: Enrique Coimbra
Editora: Casa da Palavra (Leya)
Ano: 2015
Páginas: 95
Enrique Coimbra decidiu escrever este livro depois de viver "mais uma aventura emocionalmente masoquista com um menino heterossexual". Tirou da própria vida, e também da convivência com os desejos e angústias de sua geração, a inspiração para criar a história de um garoto carioca que tateia pelos caminhos da descoberta sexual, seguindo em frente à revelia de padrões ou probabilidades. E talvez tenha acabado por conquistar ainda mais do que desejava: um livro sobre o relacionamento impossível entre dois garotos, sim, mas também uma narrativa corajosa sobre a descoberta da frustração e do efêmero, que acompanha o amadurecimento de qualquer um de nós.
Eu conheci o Enrique Coimbra através de umas buscas que fiz na Amazon, por um livro dele chamado Um Gay Suicida Em Shangri-lá, fiquei bem interessado no livro, mas tenho pavor de ebooks, vocês sabem, procurei a edição física e ela estava meio salgada, então me aquietei, foi quando ele lançou esse livro e logo me interessei, queria ler alguma coisa dele, principalmente por não ter tido coragem de comprar o outro livro acima citado. A sinopse me agradou, e logo resolvi comprar e ler o livro.

Enzo vive dilemas e questionamentos que a maioria dos garotos gays vivem, isso já é de praxe, mas o seu maior dilema é sempre se apaixonar por quem ele não pode ter ou por quem não quer ter nada com ele, mas ele até leva isso bem na esportiva, ele não está tão afim de se amarrar a ninguém ele gosta de ser uma pessoa livre e descompromissada, mas isso muda quando Ian surge em sua vida.
A maldição da minha existência é querer ser de quem não quer ser meu. De gostar de quem não pode gostar de mim. Isso me isenta da responsabilidade de cuidar de alguém.
Inicialmente Ian é algo inalcançável, além de ter um rolo com uma de suas amigas, Ian é hétero, Enzo logo a ceita que ali ele não vai conseguir nada, mas ainda assim o rapaz não deixa de chamar sua atenção, as coisas mudam quando Ian demostra curiosidade e interesse em Enzo, que inicialmente tenta evitar o garoto mas acaba cedendo.
"Quero fazer o que você faz, me mostra teu universo", cheio de poesia, foi assim que ele me chamou no Facebook. Como diria não? Por que diria? Eu me senti menos sozinho.
Enzo não sabe o que ele significa para Ian, não sabe se eles terão um futuro, e ainda assim ele não consegue evitar que os sentimentos floresçam dentro dele, agora cabe a ele decidir, se ele continua nesse "relacionamento" pela metade ou se se da uma chance de viver algo que realmente lhe traga frutos.

Enzo é aquele típico personagem que a gente chega até a revirar os olhos no começo, principalmente por seu ar de superioridade, mas logo Nos damos conta que ele tem tantas dúvidas e tem muito o que a prender como qualquer pessoa. Acho interessante a forma como ele se descobre como pessoas durante a leitura, fora que me identifiquei bastante com algumas situações que ele passa.

O livro traz outros personagens importantes para a narrativa, temos o Enzo, o garoto que se envolve com Enzo e Amanda que é um grande amiga do protagonista.

Eu gostei muito do livro, a história é um pouco clichê e inicialmente lenta, mas nem por isso ela deixa de se mostrar real, uma das coisa que mais me agradou no livro é que diferente da maioria dos livros que abordam a temática gay, que geralmente falam sobre descoberta, nesse temos um protagonista que vive sua orientação de forma plena, mas tem que lidar com outros problemas existentes na vida de um cara gay, e isso me gradou muito, pois, acabei sendo completamente fisgado pela história, meu único pesar é que o livro é curto demais, ele cumpre seu papel de contar toda a história memso sendo curto, mas sempre fica aquela sensação de quero mais não é? A gente começa a ler e quando viu já acabou!

Sobre Garotos Que Amam Garotos foi uma leitura muito agradável, e me impressionou por eu ter gostado tanto e pelo livro falar tanto em tão poucas páginas, sem duvidas entra para a lista de melhores livros lidos em 2016 e já to até tomando repensando se compro ou não o outro livro do autor que eu queria ler. Achei a capa do livro bem bonita, principalmente por amar barbas e claro toda a representatividade das cores, não encontrei nenhum problema de revisão, a diagramação do livro é ótima e a fonte tem um ótimo tamanho para leitura.

Classificando:

Nenhum comentário:

Postar um comentário