24 de maio de 2017

Resenhando Filme: O Poderoso Chefinho

Título: O Poderoso Chefinho (Baby Boss)
Direção: Tom McGrath
Gênero: Animação
Duração: 98 min
Lançamento: 30 de março de 2017
Um bebê falante que usa terno e carrega uma maleta misteriosa une forças com seu irmão mais velho invejoso para impedir que um inescrupuloso CEO acabe com o amor no mundo. A missão é salvar os pais, impedir a catástrofe e provar que o mais intenso dos sentimentos é uma poderosa força. 

 




Quando saiu o trailer desse filme eu sinceramente não fiquei muito a fim de ver e vocês sabem que eu adoro animações, mas por muita insistência de um amigo acabei indo ver o o filme.

Vocês sabem de onde vêm os bebês? Não? Existe uma grande empresa que define qual bebê vai para qual família e também há aqueles bebês que são escolhidos para serem CEOs, ele devem trabalhar para acabar com qualquer ameaça que possa acarretar na diminuição do nascimento de bebês e para isso eles são enviados para algumas famílias para que possam alcançar esse objetivo.

Jim é completamente feliz, uma família que o ama e que está sempre lá para o que ele precisa, até a chegada do bebê, logo de cara Jim vê que o bebê é uma tremenda confusão, logo ele descobre que o bebê sabe falar, e que de alguma forma anda conspirando com outros bebês do bairro, ao bater de frente com o bebê, Jim vê toda a sua felicidade ir pelo ralo quando ele de propósito passa a chamar mais atenção dos pais.

Assim Jim admite odeia o bebê e o bebê afirma que tudo o que ele quer é fazer o seu trabalho e ir embora, logo os dois se unem para que um possa conseguir o que tanto almeja, Jim a atenção de seus pais e o bebê a missão que lhe foi atribuída. Mas em meio a toda a aventura os garotos acabam se apegando, e o amor fraternal surgindo, mas e quanto aos antigos desejos? O que seria mais importante afinal?

Eu sinceramente não estava a fim de ver o filme, e posso dizer que fui até ver de má vontade, mas definitivamente eu não posso negar o quanto o filme me encantou e divertiu, a dublagem do filme ficou muito boa, o roteiro não é nada muito grandioso, mas ao menos não é falho e chato, para quem não queria ver o filme, fiquei muito satisfeito com o que vi.

O Poderoso Chefinho é uma boa animação, não tão grande como algumas outras que já vi esse ano, mas sem sombra de dúvidas ele diverte e não decepciona a quem decide por vê-lo.

Observações:
— Esse título brasileiro nada haver?;
— As vezes irmãos são realmente um pesadelo rsrs;
— Mas as vezes eles são tudo o que precisamos;
— Esses filmes por mais que não pareçam, são sempre uma critica ao quanto adultos podem ser "cegos" para com os filhos;
— Desculpem eu chorei, as always;
— A trilha sonora foi ate gostosinha;
— Deus me perdoe se eu tiver mente poluída, mas só eu vi um monte de cena com apelo sexual no filme?;
— Gutto, Ronalty e Lucas obrigado pela companhia seus lindos 💙💚💛💜💓

Classificando:

Nenhum comentário:

Postar um comentário