26 de outubro de 2017

Resenha: Outro Dia - David Levithan

Título: Outro Dia (Another Day)
Série: Every Day #2
Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 322
Já Resenhei: Six Earlier Days (Every Day #0.5), Todo Dia (Every Day #1)
A marcante história de Todo dia, agora sob a perspectiva de Rhiannon
Um dos mais inovadores autores de livros jovem adulto e o primeiro a emplacar uma trama gay na lista do New York Times, David Levithan retoma a sua mais emblemática trama em Outro dia. Aqui, a já celebrada — com várias resenhas elogiosas — história de Todo dia, que vendeu mais de 40 mil exemplares só no Brasil, é mostrada sob o ponto de vista de Rhiannon. A jovem, presa em um relacionamento abusivo, conhece A, por quem se apaixona. Só que A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Mas embarcar nessa paixão também traz desafios para Rhiannon. Todos eles mostrados aqui.
Vocês já tem noção do quanto eu sou apaixonado pelo David Levithan e que todo e qualquer livro dele que é lançado eu vou ler, e não seria diferente com Outro dia. Todo Dia foi um livro que me impactou muito, mas hoje sinto que na época eu não estava preparado para lê-lo, tenho certeza que a leitura dele hoje seria muito mais proveitosa e eu teria uma perspectiva muito maior sobre a história do livro, e foi exatamente por isso que adorei o lançamento da história na visão da Rihannon, por que assim eu poderia revisita-la e rever alguns pontos que não consegui ver antes.

Era apenas mais um dia comum na escola para Rhiannon, mas o inesperado acontece e seu namorado Justin a convida para fugir da escola, ela acha estranho, não é típico de Justin fazer esse tipo de coisa, mas, ela simplesmente aceita e os dois fogem da escola, ela continua desconfortável, sem entender o que está acontecendo, Justin parece um pouco diferente, mas para ela ele deve apenas estar um de seus bons dias. Os dois acabam passam uma bela tarde juntos na praia, um dos dias mais perfeitos que Rhiannon teve com o namorado, entretanto, no dia após o passeio o Justin volta ao seu estado de espírito "normal" com todos os seus problemas, todas as suas frustrações, todas as suas reclamações e com toda a indiferença a Rhiannon.
— Vamos para algum lugar — sugere ele. — Aonde você quer ir?
De novo, acho que tem que haver uma resposta certa para esta pergunta, e que, se eu entender errado, vou estragar tudo. Ele quer alguma coisa de mim, mas não sei ao certo o quê.
— Não sei — digo a ele.
Ele retira a mão do meu braço, e eu penso, "ok, resposta errada". Mas aí ele pega a minha mão.
— Vamos — pede ele.
Todo mundo fala que o relacionamento de Rhiannon é estranho, mas ela não acha isso, ela sabe que Justin gosta dela, ele apenas tem frustrações demais, ou é isso o que ela quer ver. Enquanto os dias passam e por mais que Rhiannon tente o estado de espírito que o Justin estava na praia nunca volta. Rhiannon não questiona ela sabe que questionar é certeza de brigas entre os dois, ela apenas vai seguindo a vida, ajudando uma garota em sua escola, ou fazendo amizade com o primo gay de seus amigos, desse ela realmente gostou e até tentou criar um laço de amizade, bom até descobrir que na verdade seu amigo não possui nenhum primo na idade do garoto que ela conheceu.
Estico a mão para ele.
Ele não pega.
— O que deu em você?
O dia de ontem. É o que quero dizer a ele. Mas pelo jeito como ele olha para frente, imagino que agora não é um bom momento.
Ele sequer espera para ouvir minha resposta à pergunta.
Simplesmente continua caminhando.
Rhiannon decide então confrontar o garoto por uma explicação, e ele prontamente diz que irá explicar tudo para ela, entretanto ela deverá ouvir toda a história antes de tirar qualquer conclusão, eles deveriam se encontrar para que ele pudesse contar tudo, ao chegar lá Rhiannon encontra uma garota e ela começa a contar que na verdade se chama A e que é um ser que acorda um novo corpo a cada dia, e que desde que esteve no corpo de Justin não conseguiu tirar ela da cabeça, Rihannon fica completamente estática com a situação, não acredita na história, mas com o passar dos dias e com novos encontros ela percebe que é verdade e que está começando algo que irá desafiar tudo o que ela já fez ou imaginou em sua vida.
Rhiannon,

estarei lá. Embora não da maneira que você espera.
Tenha paciência e ouça o que tenho a dizer.
A
Embora eu tenha feito basicamente uma releitura do primeiro livro, tendo em vista que Outro Dia é um livro complementar com a visão de Rhiannon sobre o que aconteceu em Todo Dia, achei o livro tão chocante e intrigante quanto o "original". A história é muito envolvente e interessante e você se vê torcendo para que as coisas deem certo, mesmo com todas as dificuldades. Eu acredito que conhecer o POV de Rhiannon foi importante, nós já sabíamos o quão difícil era para A toda essa situação de mudar todos os dias, mas e para Rihannon que mesmo estando apaixonada por A e tentando ao máximo olhar o interno quebrar paradigmas e se desconstruir para estar com ele, ainda assim era difícil não se importar com o externo, não desejar que ele fosse a mesma pessoa todos os dias.

Outro Dia me promoveu um ótimo momento de leitura quanto de reflexão quanto a forma que nós vemos as pessoas. Estou ansioso para o terceiro e último livro, esperando que A tenha um final decente, porque ele é um dos melhores personagens que já conheci na minha vida como leitor! A capa do livro segue o mesmo estilo do seu antecessor, eu não amo, mas também não desgosto, com os nomes do livro e autor em alto-relevo e envernizados. Não encontrei nenhum problema de revisão, a diagramação do livro é boa, e a fonte tem um tamanho agradável a leitura.

Classificando:

Nenhum comentário:

Postar um comentário