23 de fevereiro de 2018

Resenha: Fãs do Impossível - Kate Scelsa

Título: Fãs do Impossível (Fans of the Impossible Life)
Autor: Kate Scelsa
Editora: Intrínseca
Ano: 2016
Páginas: 336
Fãs do impossível conta a história de três amigos, Mira, Sebby e Jeremy, em meio aos complexos conflitos da adolescência. Mesmo sentindo-se despedaçados, sem motivos para serem amados e tentando não sucumbir à solidão, os três lutam pela vida, cada um à sua maneira.
Mira está começando em uma escola nova, depois de passar um tempo no hospital. Ela se sente insegura no novo ambiente e acha que não vai conseguir ficar longe de seu melhor amigo, Sebby, um garoto brincalhão que leva a vida com boas doses de mentira e bom humor, até que seu lado mais destrutivo vem à tona.
Jeremy está retornando à antiga escola, depois de um tempo afastado por causa de um incidente traumático que arruinou seu ano letivo. Tímido e quieto, ele deseja se aproximar de Mira e Sebby. Juntos, contra todas as expectativas, eles vão viver o impossível. 
Esse foi um daqueles livros que eu fiquei louco para ler assim que foi anunciado o lançamento, demorei um bocado para comprar o livro, mas, assim que o fiz não tardei muito em lê-lo afinal estava ansioso para descobrir o rumo que a vida dos personagens tomariam.

Mira está começando um novo ano escolar em uma escola nova bem diferente da que ela frequentava antes, ela esteve internada num hospital se tratando, na escola nova ela se sente um pouco deslocada e insegura longe de tudo o que está acostumada, longe de seu melhor amigo Sebby, mas ela se esforça, ela tenta pelo seus pais, ela tenta para ver se consegue mudar.
Primeiros dias de aula não foram feitos para serem fáceis, e aquele não era exceção. Mira tinha achado que ter Sebby ao seu lado poderia ajudar, mas, assim que ele a encontrou no banco, na subida da colina que levava a St. Francis, ela soube que fora um erro convidá-lo. Sebby era uma lembrança de sua outra vida, sua vida real, para a qual não havia lugar ali.
Sebby vive em um lar adotivo, ele é brincalhão e divertido, e gosta de contar algumas mentiras para escapar dos problemas, ele é o melhor amigo de Mira, que faz de tudo para que ela continue seguindo em frente, mas que tem os seus próprios problemas, problemas esses que ele não gosta muito de dividir, ele tenta de toda forma seguir em frente, mas as coisas não são fáceis.

Jeremy passou por um período traumático em sua escola e por isso ele acabou se retraindo e se isolando de tudo e todos, mas, ele precisa voltar para a escola, ele que já era tímido e quieto fica ainda mais inseguro tendo que voltar a viver no mesmo ambiente tóxico que lhe fez tanto mal, mas as coisas melhoram quando ele conhece Mira e automaticamente Sebby por quem ele acaba se apaixonando.
Ninguém falou comigo no primeiro dia de aula, apenas Peter. Não que eu tenha me mostrado muito disponível. De cabeça baixa, contei os minutos para o fim de todas as aulas, tendo em mente que eu só precisava dizer que havia sobrevivido àquele dia.
Bom, esse livro me deixou com um gosto amargo depois da leitura, com três protagonistas problemáticos e alguns momentos autodestrutivos, tinha tudo para dar certo como um YA Sicklite, entretanto achei a história mal construída, dando pouquíssima atenção as doenças dos garotos, não avançando além do que "poderia ter sido" o estopim dos problemas deles, além de um final meio pombo. Mas nem tudo no livro é ruim, a narrativa é fluída tanto que terminei a leitura em dois dias, além de ser um livro repleto de representatividade seja ela sexual, racial ou familiar, de certa forma me agradou, mas ainda assim me deixou decepcionado.

Jeremy foi o personagem com o qual mais me identifiquei, é terrível passar por traumas na escola e a cima de tudo ter de voltar ao mesmo ambiente com todos olhando você de lado. Mira foi a que eu mais quis abraçar ela cometeu erros, mas se você não consegue apoio nem em casa onde você irá conseguir? Sebby, ahhh Sebby a vida foi tão dura com ele, mas ainda assim não é desculpa para ele tomar as decisões que ele toma, ele queria dar umas chacoalhadas no Sebby para ele acordar pra vida e ao mesmo tempo queria lhe fazer um cafuné.

Fãs do Impossível não foi um livro tão bom quanto eu esperava, na verdade ele foi um pouco decepcionante, pois, como disse ele tinha tudo para dar certo (para mim) mas não deu, mas, muitas pessoas gostaram do livro, então já reforço, não deixem de lê-lo talvez você goste. A capa retrata um dos momentos passados no livro e gostei muito dela, ainda que não a ache linda, além de ser feita de um material gostoso de pegar. Não encontrei nenhum problema na revisão, a diagramação do livro é boa com destaque para a parte interna da capa num estilo rabiscado, a fonte possui um tamanho agradável para leitura.

Classificando:

Nenhum comentário:

Postar um comentário