21 de março de 2018

Resenha: A Lógica Inexplicável da Minha Vida - Benjamin Alire Sáenz

Título: A Lógica Inexplicável da Minha Vida (The Inexplicable Logic of My Life)
Autor: Benjamin Alire Sáenz
Editora: Seguinte
Ano: 2017
Páginas: 440
Salvador levava uma vida tranquila e descomplicada ao lado de seu pai adotivo gay e de Sam, sua melhor amiga. Porém, o último ano do ensino médio vem acompanhado de mudanças sobre as quais o garoto não tem nenhum controle, como ímpetos de raiva que ele não costumava sentir. Além disso, Salvador tem que lidar com a iminente morte da avó, com uma tragédia repentina que acontece na vida de Sam e com o fato de seu pai estar se reaproximando de um ex-namorado. Em meio a esse turbilhão de sentimentos, que vão do luto ao amor e da amizade à solidão, Sal passa a questionar sua própria origem e identidade, e tenta encontrar alguma lógica para a sua vida uma tarefa que parece quase impossível. 
Depois de ler Aristóteles e Dante Descobrem Os Segredos do Universo, eu fiquei ansiando em poder ler um novo livro do Benjamin, ele tem uma forma tão gostosa de escrever seus livros e transmitir a beleza de sua história, enfim mais um livro dele foi laçado aqui no Brasil e claro que não perdi a oportunidade de ler e me encontrar mais uma vez com a escrita maravilhosa do autor.

Um novo ano escolar começou, e nada é mais normal do que estar na escola para Salvador, retornar a rotina de voltar para casa com sua melhor amiga Sam, e as conversas com seu amigo Fito, mas, esse é o seu último ano na escola, logo ele deve escolher o caminho que deve seguir, escolher qual universidade ele vai se inscrever, a vida adulta começa a mostrar as caras para Salvador. Ele vive com seu pai adotivo Vicente desde que são mãe faleceu, Vicente prometeu a ela que iria cuidar e amar Salvador e foi isso o que ele fez, Sal ama demais o pai e tudo o que ele menos quer e ver o pai sofrendo, mas as coisas nem sempre são fáceis, o pai dele é gay e é mais do que sabido que o que não falta no mundo é preconceito.
Primeiro dia de aula. Último ano. Sempre me perguntei como seria estar no último ano. E agora estava prestes a descobrir. A vida estava começando. Essa era a história, de acordo com Sam, minha melhor amiga. Ela sabia de tudo. Ter uma melhor amiga que sabe de tudo economiza muito esforço. Se você tiver uma dúvida sobre qualquer coisa, só precisa perguntar, e ela simplesmente dará a informação de que você precisa. Não que a vida se resuma a informações.
É  a partir de um problema relacionado a orientação sexual de seu pai que Sal começa a notar as mudanças em si, uma certa estranheza e as coisas pioram quando ele descobre que sua avó está doente e que dificilmente conseguirá se recuperar, Mima é um dos principais pilares de Salvador e ele não se sente pronto para perdê-la, como se toda essa preocupação já não fosse o bastante, a eminente reaproximação de Marcos um ex-namorado de seu pai deixa Salvador desconfortável, pois, ele não quer que o pai sofra se envolvendo novamente com Marcos.
— Talvez a gente nem sempre saiba o que existe ddentro de nós.
— É verdade — Sam disse. — Acho que muitas coisas conseguem encontrar uma maneira de se esconder.
 Talvez essas coisas devessem ficar escondidas  afirmei.
Em meio aos seus próprios problemas Salvador se vê tragado para dentro da vida e dos problemas de seus amigos Sam e Fito, ele não consegue evitar os problemas pelo quais os amigos passam e sempre está tentado ajudar de alguma forma, em meio a esse turbilhão de coisas acontecendo, Sal se sente perdido, questiona sua identidade, ama e sofre por amar, se pergunta porque tem tanta sorte quando tanta gente tem tão pouco. É uma jornada difícil e intensa que Sally tem de lidar, mas ele conta com a amizade de Sam e Fito e o amor de seu pai e sua mima para seguir por esse caminho tortuoso.

Gente ao terminar de ler o livro eu apenas não sabia muito bem como reagir, Benjamin continua escrevendo histórias poéticas e repleta de muita beleza, sem esquecer a representatividade, o quanto a amizade é importante e que família não é apenas aquela de sangue. A história te envolve e você simplesmente não consegue evitar de se encantar com os personagens e sofrer junto com eles. Eu fui surpreendido muitas vezes durante a leitura do livro, com acontecimentos que eu nem sequer cogitava acontecer. Mas alguma coisas me deixou desconfortável com a leitura, não sei se foi o tempo que levei para terminar o livro, mas ficou a sensação de que faltava algo, ainda que eu tenha amado completamente o livro.
Fito diz que origens não têm tanta importância.
— Sei exatamente de onde vim. E daí? Algumas pessoas têm pais famosos. Que diferença faz? nascer de pessoas talentosas não torna ninguém talentoso. O pai do Charlie Moreno é prefeito. Mas olhe para o Charlie. Ele é um cretino. Todo mundo na minha família é viciado em drogas. Mas, veja, não importa de onde eu venho, mas sim para onde vou.
Salvador é aquele tipo de personagem que a gente quer abraçar, nada pior do que se sentir perdido e sozinho, e a dor da perda é sempre algo dolorido para todos nós, eu amei o Sal, mas em alguns momentos ele merecia sim umas chacoalhadas. A Sam é aquela amiga intrusa e insuportável sem a qual a gente não consegue viver e que faríamos de tudo para ajudar e proteger. O Fito foi aquele personagem que eu simplesmente admirei no momento que eu conheci, ele tem garra e força de vontade e a cima de tudo tem muita compaixão, queria um livro sobre o Fito. Vicente sem sombra de dúvidas é o melhor pai do mundo, ele é o tipo de pai que sempre sonhei em ter, amigo, compreensivo e presente. E como não falar de Mima? a avó de Salvador me lembrou muito a minha avó materna, é simplesmente impossível não amar essa senhorinha.

A Lógica Inexplicável da Minha Vida foi um muito gostoso de ler, matar a saudade da escrita do Benjamin foi realmente muito bom. Não achei a capa do livro linda, mas também não achei ela feia o que já é um ponto positivo, a capa é toda lisa com o título em relevo áspero. Não encontrei nenhum problemas revisão, a diagramação do livro é ótima e a fonte tem ótimo tamanho para leitura.

Classificando:



Nenhum comentário:

Postar um comentário