14 de março de 2018

Resenha: Os 27 Crushes de Molly - Becky Albertalli

Título: Os 27 Crushes de Molly (The Upside of Unrequited)
Autor: Becky Albertalli
Editora: Intrínseca
Ano: 2017
Páginas: 320
Molly já viveu muitas paixões, mas só dentro de sua cabeça. E foi assim que, aos dezessete anos, a menina acumulou vinte e seis crushes. Embora sua irmã gêmea, Cassie, viva dizendo que ela precisa ser mais corajosa, Molly não consegue suportar a possibilidade de levar um fora. Então age com muito cuidado. Como ela diz, garotas gordas sempre têm que ser cautelosas.
Tudo muda quando Cassie começa a namorar Mina, e Molly pela primeira vez tem que lidar com uma solidão implacável e sentimentos muito conflitantes. Por sorte, um dos melhores amigos de Mina é um garoto hipster, fofo e lindo, o vigésimo sétimo crush perfeito e talvez até um futuro namorado. Se Molly finalmente se arriscar e se envolver com ele, pode dar seu primeiro beijo e ainda se reaproximar da irmã.
Só tem um problema, que atende pelo nome de Reid Wertheim, o garoto com quem Molly trabalha. Ele é meio esquisito. Ele gosta de Tolkien. Ele vai a feiras medievais. Ele usa tênis brancos ridículos. Molly jamais, em hipótese alguma, se apaixonaria por ele. Certo?
Depois de ler a história do Simon, e de conhecer a Becky Albertalli pessoalmente e ver que ela é uma das autoras mais fofa que já nascerem na face da Terra, não tinha jeito de não ficar ansioso pelo próximo livro dessa mulher não é mesmo minha gente? E foi exatamente assim que fiquei e só realmente fiquei satisfeito quando enfim consegui ler o livro.

Molly é uma garota como qualquer outra de sua idade, tem seus amigos, sua família e claro não vamos esquecer os seus crushes, Molly já teve diversos crushes, porém, ela nunca seguiu em frente com nenhum deles, todos ficaram apenas em sua imaginação, pois, como uma garota "gorda" como ela é, morre de medo de ser rejeitada e por isso nunca se deu a oportunidade realmente estar com alguém.
Não consigo deixar este pensamento de lado: tive vinte e seis crushes, sendo que vinte e cinco não eram o Lin-Manuel Miranda. Vinte e três eram da minha idade, reais, viáveis. Dezoito eram solteiros e héteros na época em que fiquei  a fim deles.
E eu nunca tentei. Nem mesmo com os que vieram falar comigo ou me deram um brecha.
Mas isso nunca foi realmente um problema para Molly já que ela sempre teve a companhia da sua irmã gêmea Cassie, que diga-se de passagem é completamente o inverso dela, mas as coisas começam a mudar quando Cassie conhece uma garota e começa a namora-la, Molly percebe que sua irmã não se faz mais tão presente e que não lhe conta mais tudo o que acontece na vida dela e isso acaba deixando Molly em um conflito interno que nem ela mesma consegue controlar.

Na tentativa de se reaproximar da irmã e concretizar um dos inúmeros crushes que ela tem, Molly tenta se aproximar do melhor amigo gato de Mina, a namorada de Cassie, nesse meio tempo Molly começa a trabalhar numa loja de departamento, e lá conhece um rapaz estranho chamado Reid, E ele é muito divertido, faz Molly sorrir e acima de tudo faz ela se sentir confortável e confiante em sua presença, logo Molly se vê ainda mais confusa sem saber qual caminho seguir.
Gosto muito de ser essa garota. Talvez eu seja meio egomaníaca.
Mas tem algo de apavorante em admitir que você gosta de alguém. De certa forma, é mais fácil quando não há chances de acontecer nada. Só que há esse momento decisivo em que as coisas de repente se tornam possíveis e as cartas são colocadas na mesa.
E mais uma vez encantado fiquei com o que li, a Becky tem toda uma delicadeza ao escrever suas histórias fazendo com que a gente se ponha no lugar do personagem, principalmente uma personagem como a Molly que vive apenas nesse livro as situações da adolescência e todos aqueles sentimentos confusos, o medo, as vontades, o ciúme dos amigos, os hormônios, as indecisões, os problemas de confiança. O livro é fluído e divertido e quem leu a história de Simon sem dúvidas gostará desse livro.

Molly é sem dúvidas uma personagem que se ama assim que se conhece, ela é ótima com trabalhos manuais, adora coisas vintage, mas acima de tudo, ela é responsável e doce, e o que mais gosto na Molly é que vai ser quase impossível você não se identificar com ela em algum nível.

27 Crushes de Molly é exatamente o tipo de livro que eu esperava vir da Becky Albertalli, divertido, envolvente, mas sem perder o foco no que realmente importa, que são os problemas passados pelos personagens, problemas esses que podemos ver acontecer com qualquer um e é exatamente isso o que faz o livro ser tão especial. A capa do livro é maravilhosa não é a toa que a Becky ficou a apaixonada por ela, ela vem com detalhes envernizados na imagem e título. Não encontrei nenhum problema de revisão texto, a diagramação do livro é boa e a e pessoalmente gosta bastante da fonte usada no livro para leitura.

Classificando:




Nenhum comentário:

Postar um comentário